Wednesday, 25 April 2018

Da Liberdade


Da Liberdade que hoje se comemora em Portugal, só posso desejar a todos um Feliz Dia 25 de Abril!

Que a mensagem e vida de Liberdade nunca se percam e a responsabilidade que com elas veio acrescida, também não. Para que a possamos garantir e salvaguardar, sempre, à Liberdade.

Hoje, para celebrar, um fado português que descobri há poucos dias. Chegou-me por mail, vindo do Luxemburgo. Escrevia-me a filha mais velha de um dos donos do meu café preferido da Cidade, em português correctíssimo, ela que é holandesa, com raízes no Curaçao e no Suriname, e que actualmente trabalha como tradutora num organismo internacional. Ela que se chama Moira, como as nossas Moiras encantadas, e que se encantou pelo livro de Eugénio de Andrade que lhe enviei pelos pais, quando lá foram de visita.

Para todos, com votos de um excelente dia:





Este amor não é um rio
Tem a vastidão do mar
A dança verde das ondas
Soluça no meu olhar

Tentei esquecer as palavras
Nunca ditas entre nós
Mas pairam sobre o silencio
Nas margens da nossa voz

Tentei esquecer os teus olhos
Que não sabem ler nos meus
Mas neles nasce a alvorada
Que amanhece a terra e os céus

Tentei esquecer o teu nome
Arrancá-lo ao pensamento
Mas regressa a todo o instante
Entrelaçado no vento

Tentei ver a minha imagem
Mas foi a tua que vi
No meu espelho, porque trago
Os olhos rasos de ti
Este amor não é um rio


Sunday, 1 April 2018

Feliz Páscoa!


Com votos de uma Feliz Páscoa para todos, o bonito trabalho de ponto cruz que a Paula Lima me ofereceu.





Saturday, 10 March 2018

Charlottenburg Palace, Berlim: a Sala Dourada


Iniciar a visita a um palácio com uma sala destas, é qualquer coisa, não acham?




Bom fim-de-semana!



Thursday, 8 March 2018

The Spinner, Palácio de Charlottenburg, Berlim


Para o Dia Internacional da Mulher:

The Spinner (A Fiandeira)

Palácio de Charlottenburg, Berlim










Elas são as mães: 
rompem do inferno, furam a treva, 
arrastando 
os seus mantos na poeira das estrelas. 

Animais sonâmbulos, 
dormem nos rios, na raiz do pão. 

Na vulva sombria 
é onde fazem o lume: 
ali têm casa. 
Em segredo, escondem 
o latir lancinante dos seus cães. 

Nos olhos, o relâmpago 
negro do frio. 

Longamente bebem 
o silêncio 
nas próprias mãos. 

O olhar 
desafia as aves: 
o seu voo é mais fundo. 

Sobre si se debruçam 
a escutar 
os passos do crepúsculo. 

Despem-se ao espelho 
para entrarem 
nas águas da sombra. 

É quando dançam que todos os caminhos 
levam ao mar. 

São elas que fabricam o mel, 
o aroma do luar, 
o branco da rosa. 

Quando o galo canta 
Desprendem-se 
para serem orvalho.


Eugénio de Andrade, Algumas reflexões sobre as mulheres




Wednesday, 7 March 2018

Três Aniversários


Há umas largas semanas, fui deliciosamente surpreendida, no meu café preferido da cidade, por uma canção francesa, que ouvia bastante em criança e ainda hoje gosto muito: L'Oiseau et L'enfant, que venceu o Festival Eurovisão da Canção em 1977 e foi interpretada pela luso-descendente, Marie Myriam


Quero dedicá-la a 3 leitoras e amigas desta casa, aniversariantes deste mês de Março e de quem muito gosto: Sami (02/03); Paula (06/03) e a MR, que faz anos hoje.


Muitos Parabéns, minhas queridas! Que contem muitos e felizes!





Friday, 2 March 2018

We could be heroes, just for one day



Andámos por aqui, por esta canção, a festejar o nosso aniversário de casamento.

Quem adivinha ( as duas leitoras que já sabem não se podem adiantar)? ;-)))





Beijinho e bom fim-de-semana!


Sunday, 18 February 2018

Concerto de Estrelas no Concertgebouw


Na passada terça-feira, fui até ao Concertgebouwsituado junto à Museumpleinem Amesterdão, para escutar Leonidas Kavakos (1967), violinista grego, diversas vezes premiado internacionalmente, Yuja Wang (1987), pianista clássica chinesa, Antoine Tamestit (1979), viola-alto francês, também internacionalmente premiado, e Clemens Hagen (1966), notável violoncelista austríaco, num  emocionante concerto de estrelas, dedicado à música do compositor alemão, Brahms (1833-1897). Sala cheia e grande ovação final. Um concerto muito tocante, passo o pleonasmo.

O convite para o espectáculo partiu de uma amiga chinesa, que ganhou bilhetes de presente da lotaria, com escolha livre dos lugares. Fomos 4, eu muito constipada e com imensa tosse. Valeram-me os rebuçados que me iam dando, que me esqueci completamente de comprar e levar (o primeiro, de mentol, pela senhora da fila atrás da nossa, o segundo pela senhora da fila da frente e os seguintes por uma das amigas, japonesa, e que os tinha recebido do Império do Sol Nascente, via Correios). Mas não era só eu. Cada vez que um número terminava, ouvia-se muito gente a tossir. Uma Holanda muito constipada esta noite, pensei...

Deixo-vos com este video de 2014, de um espectáculo do Carnegie Hall, em Nova Iorque, com dois dos protagonistas do concerto desta terça-feira.  


Votos de um excelente Domingo para todos!